Sistemas e padrões de vídeo.

   Quando ligamos o nosso sistema de vídeo e observamos a imagem na tela do televisor ou monitor colorido, não imaginamos o que está ocorrendo em termos de sinais elétricos para que a imagem seja transportada com um mínimo de perda na qualidade até chegar em nosso olhos. Para chegarmos ao que existe hoje, cientistas e técnicos em diversos países desenvolveram e aperfeiçoaram métodos próprios, que tentamos descrever de forma simples, neste trabalho.

    É de nosso conhecimento que diversos países usam diferentes formatos para transmissão de imagens de vídeo, incompatíveis entre si, impossibilitando, por exemplo, que um aparelho de dvd ou vídeocassete americano reproduza uma fita ou um disco gravado em outro aparelho europeu. Da mesma forma um televisor europeu não funciona aqui no Brasil, e vice-versa; porque os sinais emitidos pelas nossas estações de televisão adotam um padrão de transmissão de imagem diferente do padrão usado nos países europeus, ao qual o aparelho de TV está preparado para receber.

    Atualmente, são três os sistemas para transmissão TV de cores: NTSC,  PAL e SECAM, além de diversas variações e sub-sistemas: PAL-M, PAL-N, NTSC4.43, SECAM D/K/L, MESECAM e outros, que são na realidade, adaptações para o padrão de transmissão de TV já em uso no país ou região.  Esclarecendo:   Durante o desenvolvimento da televisão(preto e branco), foram necessárias diversas obediências; uma delas, era a dependência com a freqüência 'ciclagem' da rede de energia elétrica local. Como a maioria dos paises europeus adotam a freqüência de 50Hertz para a rede elétrica, ou seja, a 'polaridade' da corrente elétrica muda de direção 50 vezes por segundo, fazendo com que a iluminação elétrica sofra variação na intensidade na mesma freqüência(as lâmpadas 'piscam' na ciclagem da rede elétrica), a imagem deve ser formada na tela do televisor, seguindo esta mesma freqüência, ou uma fração desta. Isto é necessário para evitar a cintilação da imagem. Imagine uma fonte de luz, no caso a tela do televisor, 'pulsando' 60 vezes por segundo, em um ambiente iluminado por lâmpadas, porém alternando em 50 vezes por segundo; teremos uma diferença 'batimento' de 10, que será a freqüência da cintilação(bastante incômoda) na imagem do televisor. Para evitar este efeito, o padrão de televisão na Europa gera 50 campos de imagem por segundo. Como nos Estados Unidos a 'ciclagem' da rede elétrica é de 60Hertz, o processo para transmissão de televisão deve gerar 60 campos de imagem por segundo para evitar o efeito da cintilação.  Esta característica entre outras do sistema de transmissão de televisão norte-americana, faz parte das normas estabelecidas pela RMA(Radio Manufacturers Association) ou simplesmente "M", e acabou sendo adotadas por outros países, como o Brasil e Japão. Infelizmente, os dois padrões de transmissão de TV(americano e europeu) são incompatíveis entre si.
    Para complicar, em 1953 um comitê formado pelas maiores indústrias norte-americanas de eletrônica, denominado de "National Television System Committee", criou uma forma para a transmissão de TV a cores, compatível com o já existente padrão de TV preto e branco, o que permitia aos possuidores destes televisores(preto e branco), assistir aos programas transmitidos a cores(sem cor, naturalmente). O processo passou a ser chamado no meio técnico pela sigla o comitê: NTSC. Porém, este processo estava longe de ser perfeito. Não mantinha a fidelidade na transmissão, e havia constantes alterações na intensidade e na matiz das cores(chegou a ser chamado de Never The Same Color). A gota d'água, foi uma transmissão da visita da Rainha da Inglaterra aos Estados Unido, onde muitos telespectadores a viram totalmente 'verde', na telinha.  Isto fez os peritos europeus pesquisarem e desenvolveram dois sistemas, que apesar de serem derivados do NTSC, corrigiam o efeito das alterações das cores no NTSC. Em 1957 a França cria o sistema SECAM(Sequential Couleur Avec Memoire) e a Alemanha no mesmo ano, o sistema PAL(Phase Alternation Line).

   Atualmente, graças à tecnologia digital e outros processos, o sistema NTSC está 'vacinado' contra o efeito 'Never The Same Color'.
   Nos últimos anos os três sistemas têm sido estudados e aperfeiçoados de maneira profunda no plano internacional, e os resultados destes testes relatados em numerosos relatórios e documentos, têm formado a base das discussões sobre qual tem o melhor retorno funcional.

   O sistema de cores adotado no Brasil é o PAL, com características de transmissão de imagens(em preto e branco) de 60 Hertz como nos Estados Unidos; por esta razão, a designação 'M'(PAL-M).

O quadro abaixo faz uma comparação entre os diversos sistemas de TV a cores.

 TV color systems

    Classificação de sistema de TV a cores por país:

    >NTSC----------- Coréia, Estados Unidos, Canadá, Japão, Taiwan, Filipinas.
    >PAL------------- Reino Unido, Alemanha, Oeste Europeu, China, Singapura.
    >SECAM-------- França, Leste Europeu, e Rússia(CIS).
    >PAL-M--------- Brasil.
    >PAL-N---------- Argentina (fitas de vhs são as mesmas PAL da Europa).
    >NTSC4.43----- Sinal NTSC transmitido em 50 Hertz e com alterações na 'freqüência da sub portadora de cores'

       (não é um padrão oficial, mas muito usado na Europa para reprodução de VHS NTSC em vídeocassetes
       e televisores PAL modificados).
    >MESECAM--- Padrão de gravação em VHS do padrão SECAM.

       Tabela demonstrativa dos sistemas de transmissão de televisão(broadcast).

Sistema de geração
de vídeo(Broadcast)
Sistema de transmissão  de TV(RF) EM VHF(CANAIS 2 A 13)

País

M M Estados Unidos, Canadá, Coréia, Japão, Brasil
N M Uruguai, Argentina, Paraguai,..
B/G G Alemanha, Itália, Espanha, Portugal,..
I I Reino Unido, Hong-Kong,...
D/K K China, Rússia(CIS), ...

    As designações do quadro acima referem a diferença nos processos de transmissão das diversas informações, como freqüência da sub-portadora de áudio e croma,  largura da banda de F.I., e outras características.

    Bibliografia:   
    O Engenheiro Anton Eisele, através de seu trabalho publicado no livro "Televisão A Cores Pal-m" ( CDD-621-38804 - Editora Polígono) e o manual do proprietário do Worldwide vídeo Recorder SV-5000W da Samsung serviram de inspiração para a produção deste trabalho.

Clique
>> aqui << e acesse página com mais informações.

Osvaldo Ademir Bueno
CREA-PR-63862/TD

   

http://www.videocolor.com.br